Processo criativo

Autora: Beatriz Sanchez Más (Designer têxtil no Studdio Más)

Olá! Aqui é a Bia do Studdio Más, pra quem não me conhece sou a designer têxtil responsável por toda a parte de desenvolvimento dos projetos têxteis da marca e vim falar um pouco sobre processo criativo e desenvolvimento de produtos. 

Além do Studdio Más, eu trabalho numa marca de moda onde eu faço parte de um time de criativos que desenvolvem conceitos para a coleção, o que acaba influenciando muito a forma como eu trabalho nos meus projetos. Cada um tem um processo criativo único, e não existe uma formula secreta que seja a ideal, mas vim compartilhar um pouco como eu faço e que tem funcionado muito para mim.  Quando começo um projeto, seja no Studdio ou de moda, começo a me guiar por alguns possíveis tema. Gosto de trabalhar com temas pelas possibilidades que vão surgindo, e como ajuda a amarrar bem a coleção ou projeto. As vezes é um tema mais óbvio, como um lugar ou uma pessoa, e as vezes é um pouco mais abstrato, como um sentimento ou um conceito. Não existem regras na hora que você for escolher seu tema, esteja aberto para se inspirar, essa inspiração pode vir de uma foto, um filme que você viu, um lugar que você foi, um livro, uma pintura... Tudo vale!  Depois de definir esse tema, tá na hora de se aprofundar. Quando trabalho com moda eu gosto de estudar a fundo e passo quase 2 meses fazendo pesquisa,  e conforme vou aprendendo mais sobre, vou montando um mood board. Mas para os projetos do Studdio Más, eu desenvolvi um processo um pouco mais curto, após escolher um tema faço uma seleção de palavras-chave que vão me ajudar a entender alguns caminhos, e junto a isso começo o meu mood board, com bastante referencia estética. O moodboard (pra mim) é uma mistura de imagens conceituais com as imagens temáticas. Gosto de  trabalhar  no pinterest, vou salvando tudo numa pasta e depois vou selecionando o que eu quero usar. Vou definindo a cartela de cor baseada nas imagens, e procuro unificar essas imagens para que estejam todas dentro dessa cartela. Desse mood board eu consigo tirar formas, cores e texturas que vão me ajudar a desenvolver os primeiros esboços da minha peça.  O desenho é o momento de decidir aonde fica cada cor, qual formato vou querer, e começar a ter uma ideia de materiais. As vezes faço dois ou mais desenhos, para ver as possibilidades e entender qual caminho quero seguir. Uma coisa que eu aprendi conforme o tempo é que o desenho é um guia, e muitas vezes não vai sair igual ao que desenhei.  Começo a tirar do papel escolhendo os materiais. Costumo juntar todos eles num bolinho pra ver se me agrada visualmente, se os materiais combinam entre si, e se eles traduzem o meu moodboard.  Com tema, cartela de cor, esboço de guia e materiais definidos, agora é a minha parte favorita: botar a mão na massa!  Por mais que a gente já tenha planejado tudo como vai ficar, é importante estar aberta pra ideia de que tudo pode mudar, e que é normal. É um processo criativo, é fluido, é vivo. As vezes você vai fazer e refazer muitas coisas, até você estar satisfeita com o que você fez. Aproveite o processo para testar. Abrace as mudanças! 




Copyright © 2020 por O Mercado - Estilistas Independentes  

Imagens e textos sujeitos a direitos autorais

Rio de Janeiro/ RJ - Brasil